Edição do Mes Negócios

TopList 2019 aponta as marcas e produtos preferidos dos leitores

Dezenove. Este é o número de edições que o Top List Rural, pesquisa realizada pela Revista Rural para identificar as empresas preferidas do setor, chega neste ano. O trabalho, feito com os leitores da publicação visa apontar as marcas e produtos testados e provados pelos produtores rurais. Nesta edição, 638 pessoas responderam, ao questionário, dos mais de 1.300 enviados. A representatividade foi a mesma de anos anteriores, sendo 37% do Sudeste, 32% Centro-Oeste, 20% Sul e 11% Norte e Nordeste. 

Flávio Albim, diretor da Revista Rural.

Para o editor-chefe da Revista Rural, Flávio Albim, as novidades deste ano deram um peso ainda maior ao projeto. “Ampliamos a abrangência da pesquisa, criando categorias voltadas a eqüinocultura e outras novas em pecuária bovina. Foram mais de 10 novos itens pesquisados, que nos ajudaram a conhecer um pouco mais sobre áreas importantes da atividade pecuária”, afirma Albim, salientando que essas categorias estarão presentes também no Top of Mind de 2020, além de outras mais. “Queremos ampliar nossas raízes e solidificar cada vez mais as duas pesquisas anuais. São mais de duas décadas oferecendo uma importante referência para o mercado e para os parceiros e leitores”, completa.

Aditivo Alimentares é uma dessas novas categoria criadas este ano, e o escolhido pelos leitores como o produto preferido neste assunto, com 8%, foi o Rumensin, da Elanco. Para Maria Reis, gerente de marketing da companhia, receber o reconhecimento é de um valor inestimável, pois é o resultado do trabalho visto por seus clientes.

Maria Reis, da Elanco.

Segundo ela, este é um produto que atua de maneira que otimiza os nutrientes com aumento energético do bovino, e busca utilizar melhor os nutrientes através da dieta, com mais performance. “Somos uma marca consolidada há mais de 40 anos, e o Rumensin no Brasil possui uma concorrência de 40 genéricos. Ou seja, ser a preferência diante de um mercado tão competitivo representa que a molécula é superior e por isso tem o maior grau de participação em vendas”, declara. Maria diz que os produtos da empresa buscam aumentar a eficiência do animal para o pecuarista, e considera isso fundamental, uma vez que há pressão por uma pecuária mais sustentável. “Hoje é preciso trabalhar com tecnologias que produzam mais, com menos recurso e a favor da sustentabilidade”.

A Boehringer Ingelheim tem como corriqueiro ganhar em diversas categorias do Top, e neste ano não foi diferente. A companhia levou as categorias Vacinas para Aftosa (15%), Vacinas contra BVD (12%), e Produtos para Cólica Equina. Mas, uma conquista inédita também pintou em 2019. Trata-se da categoria Vermífugos para Equinos, onde 7% dos entrevistado disseram preferir Eqvlan. Para o diretor da área de grandes animais da empresa, Nivaldo Grando, este novo prêmio vem para um produto que é um antiparasitário indicado para o tratamento e controle de vermes redondos gastrintestinais e pulmonares dos animais. “Uma marca líder de mercado, da qual temos muito orgulho em ter em nosso portfólio há mais de 40 anos, e que aponta que o nosso trabalho vem sendo feito da forma correta”, diz.

Segundo ele, o que norteia a companhia no dia a dia é entender as principais necessidades dos pecuaristas para prover as melhores soluções para os seus rebanhos, sem abrir mão do fator principal, que é a saúde e bem-estar dos animais e, consequentemente, a segurança alimentar dos consumidores. “É uma satisfação enorme ver que os produtores estão contentes com o trabalho exercido por todos nossos colaboradores. O desafio agora é manter o padrão de qualidade alto para continuarmos servindo os clientes da melhor forma possível”. 

Se algumas empresas e categorias são novidades nesta edição do Top, outras estão mais do que acostumada a vencer. Como é o caso da Case IH, que desde a criação da categoria Colhedora de Cana, nunca perdeu o posto de preferida do público. Neste ano, a marca alcançou os 15% na pesquisa e Eduardo Penha, responsável pelo marketing para a América do Sul, diz que as colhedoras são referência no portfólio da marca há 75 anos.

Eduardo Penha, da Case IH.

“Somos líderes em vendas e frota ativa no campo, e temos o Brasil como principal mercado, com maior parte das nossas vendas, além de exportamos maquinário para outros 25 países”, declara. Segundo ele, o trabalho é desenvolvido com a expectativa de ser reconhecido pelos clientes. “Eles são a razão de nossos esforços. A missão da marca Case é atender os clientes e ser a empresa preferida deles”.

Com o Brasil como principal produtor de cana no mundo, a Case se vê no desafio de suprir as necessidades das usinas, com o foco no setor. “Precisamos utilizar de tecnologias inéditas, que não são vistas em nossos concorrentes, a fim de facilitar a vida do homem do campo, seja ao manobrar as máquinas, ou então na redução combustível, gerando mais rentabilidade a ele”, diz Penha.

Também habituada com boa performance no Top List, a Zoetis mais uma vez vence em mais de uma categoria – Vermífugo (18%), Vacinas (16%), Vacinas Reprodutivas (11%) e Hormônios para IATF (9%). José Paulo Peron, diretor da unidade de bovinos e equinos da companhia, diz que tais conquistas se dão graças ao portfólio completo que ela possui, alinhado ao ciclo de cuidados com os animais, que é a espinha dorsal do trabalho da empresa. “Predizer, prevenir, diagnosticar e tratar. Com esta visão global do sistema de produção, nossas soluções passam também pela difusão de conhecimento e pela qualificação dos profissionais do campo”, declara. Com o desenho do trabalho posto em prática, Peron comenta que as marcas da Zoetis fazem diferença no dia a dia do pecuarista pela segurança, eficácia e credibilidade que trazem. “Os anti-helmínticos, por exemplo, são muito importantes no Brasil, por sua condição tropical, que favorece o parasita. Já em vacinas, temos atuação relevante e investimentos maciços em pesquisa e desenvolvimento, porque não temos dúvidas de que serão cada vez mais utilizadas e relevantes nos sistemas de produção”, diz.

Sendo a preferida também na linha IATF, o diretor diz que este é um mercado que a Zoetis acredita desde o início e que está em constante mudança. “Hoje enxergamos a reprodução de forma holística, porque o lucro do produtor vem da quantidade de quilos de bezerros desmamados e não apenas da quantidade de vacas gestantes”. Com isso, Peron declara que produtos que estão no mercado há décadas, mesmo com a grande concorrência, continuam sendo a principal escolha do produtor, algo que só se constrói em uma relação de confiança. “O produtor sabe que, ao nos escolher, terá em mãos uma solução eficaz para seu problema”, comenta.

A Stihl é líder no mercado brasileiro de ferramentas motorizadas, e neste sentido, constar no topo das categorias Motosserras (29%) e Roçadeiras (11%), destaca a relevância da marca. “A qualidade dos produtos e serviços, a constante inovação com o uso do melhor em tecnologia e uma rede de distribuição qualificada são fatores que dão ao cliente a certeza de um trabalho bem realizado”, declara Rafael Zanoni, gerente de marketing da marca.

Rafael Zanoni, da Stihl.

Com foco em agregar valor ao trabalho do produtor na lida diária do campo, a companhia consolida altos investimentos em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias. “O objetivo é apresentar soluções inovadoras, que aumentem a produtividade e facilitem o trabalho de nossos clientes”, diz. Segundo Zanoni, o Top List além de felicidade e o sentimento de dever cumprido, traz também uma responsabilidade para o futuro. “Aumenta a pressão para evoluirmos dia após dia, ao mesmo ponto que da motivação para conquistarmos cada vez mais estes clientes tão especiais e significativos para a Stihl”.

A fidelidade se dá pela moral

Para ser preferida num mercado tão competitivo, fidelizar os clientes passa a ser um ponto-chave, e com isso, conquistar a confiança dos produtores tem sido a busca das grandes marcas do nosso agro. No Bradesco, vencedor da categoria Banco Privado (35%), isso se dá apoiando os investimentos do produtor rural, estando sempre próximo e entendendo o seu negócio. “Assim, ratificamos o nosso compromisso em trabalhar para entender cada vez mais as suas necessidades. Para isto, o banco vem promovendo encontros com produtores rurais em todo País, em eventos realizados em ambientes de cooperativas, sindicatos e associações, voltados exclusivamente para a interação com o empresário do campo”, diz Rui Pereira Rosa, superintendente executivo de agronegócio do Bradesco.

Rui Pereira Rosa, do Bradesco.

Segundo ele, mais de 100 encontros já foram realizados neste ano e com a participação de economistas e membros da diretoria executiva, a instituição tem apresentado um panorama dos negócios e das perspectivas para a economia rural, os caminhos para o seu desenvolvimento e os produtos criados para apoiar o sucesso do produtor. “Os mais importantes integrantes da cadeia produtiva já participaram dessas reuniões, com excelente dinâmica de troca de experiências e conhecimentos”.

Com mais está conquista em sua história no agro, a instiuição atribui como parte fundamental para esse reconhecimento sua disponibilidade e proximidade com os clientes. “Abrimos diariamente as portas das nossas agências para prestar um atendimento de excelência, estabelecendo dessa forma um laço de confiança entre ambos”, comenta Rosa.

César Franzon, gerente de Desenvolvimento de Mercado da CRV Lagoa, vencedora na categoria Inseminação (20%), comenta que todo serviço prestado é pensando no maior retorno para a vida pessoal dos fazendeiros, seja em manejo, ou em uma vida mais saudável e eficiente para o rebanho dele.

Cesar Franzon, da CRV Lagoa.

“É a parte técnica conciliada a produtividade para trazer resultados”. Com isso, a confiança e credibilidade são fundamentais no negócio, pois os clientes esperam que as companhias cumpram com o que prometem. “No nosso caso, conquistar esta confiança passa diretamente por entregar touros que convertam em números as expectativas do pecuarista”, declara. 

Franzon diz que pelo fato do mercado ser bastante competitivo, a credibilidade que a CRV tem vem de longos anos de história. “Mas só isso não basta, temos que seguir trabalhando com novos produtos, pensando no beneficio para o cliente. O mercado muda e se atualiza constantemente, e temos que nos adaptar a ele, sem perder tempo”.

Com 31% da preferência do público, a categoria Sal Mineral mais uma vez foi conquistada pela DSM Tortuga, e Juliano Sabella, diretor de marketing da área de ruminantes Brasil declara que essa confiança vem pelos benefícios que os minerais têm trazido aos bovinos, como por exemplo, a alta biodisponibilidade, performance reprodutiva melhorada, melhor resposta imune, além de produto final com alta qualidade. “Para o confinamento, temos trabalhado intensamente com linha Fosbovi Confinamento com Crina e RumiStar. E para o leite, temos maior produção e mais qualidade no leite produzido, trazendo um faturamento maior para o pecuarista e um produto com mais qualidade para o consumidor”, diz.

Juliano Sabella, da DSM Tortuga.

Para continuar a mais querida nesta categoria, Sabella revela que a empresa preza por acompanhar todo o atendimento ao cliente, desde a formulação da dieta até acompanhamento de resultados zootécnicos. “A nossa equipe de campo é altamente qualificada e está empenhada em oferecer soluções adequadas às necessidades dos produtores, com forte foco em redução de custos de produção, aumentando a produtividade de proteína animal”.

A Syngenta está entre as marcas que vence em mais de uma categoria no Top List. Neste ano, ela foi a preferida nas categorias Inseticida (11%), Fungicida (8%), Nematicida (13%) e Tratamento de Sementes (7%), e para a líder de marketing e comunicação da companhia, Renata Moya, essa confiança se dá pela conquista do produtor, ao estar junto dele diariamente, em todos os momentos do processo agrícola. “Justamente por isso, sabemos e compreendemos suas dores, necessidades e anseios. Participamos da comercialização, do plantio, do manejo, da adoção de boas práticas agrícolas, sempre levando soluções e mensagens relevantes”, diz.

Renata Moya, da Syngenta.

Segundo ela, é a integração de todos estes fatores que gera a construção dessa parceria sólida. “A confiança que nosso público sente ao se comunicar com a marca é essencial para estabelecer e alimentar essa relação”.É claro que todas as empresas buscam estar bem neste quesito de confiabilidade, e por isso é preciso buscar “algo fora da curva”. Assim, Renata comenta que no caso da Syngenta o diferencial está no olhar estratégico. “Temos uma ampla visão de portfólio e o cuidado de acompanhar a jornada do consumidor para que ele possa extrair o melhor do que oferecemos. Isso passa por conscientização a respeito do manejo, por agricultura digital e por serviços que ajudam nosso produto a não perder resistência, otimizando sua eficácia por meio do uso inteligente”. Ou seja, é preciso acompanhar este rico processo, pois ele também fornece à companhia insumos preciosos, que alimentam suas linhas de pesquisa e desenvolvimento. “Estamos constantemente em busca do aperfeiçoamento dos nossos produtos, para entregarmos soluções de ponta para os nossos clientes”, declara.

Jorge Matsuda

Para a Matsuda, campeã nas categorias Sementes para Pastagem (43%) e ILPF (18%), contar com a confiança do produtor é a chave para qualquer empresa ser bem-sucedida nesse mercado tão concorrido. “Obviamente confiança não é algo se conquista da noite para o dia. Isso demanda anos de relacionamento, atenção ao cliente, ética profissional e a construção de inúmeros casos de sucesso envolvendo suas soluções tecnológicas”, diz Jorge Matsuda, presidente do grupo. 

O empresário comenta que é necessário ser fiel à filosofia de investimentos constantes e estratégicos, pois, basicamente o que norteia o desenvolvimento do portfólio é a demanda advinda do campo. “Buscamos atender as necessidades, e é dessa forma que nossas tecnologias se mantém relevantes no gosto do nosso cliente. Por isso que quem usa Matsuda, não muda”.

Inovar garantindo resultados

Talvez o grande desafio de ser uma empresa preferida do público agro, seja criar um portfólio amplo sem perder a eficiência no campo, para assim seguir sendo um produto “Top”. Em cima disso, Emerson Botelho, gerente de produtos de ruminantes da MSD Saúde Animal, vencedora das categorias Estimulador de Cio (10%), Anti Mosca-dos-chifres (14%), Carrapaticida (9%) e Antibiótico (16%), diz que é preciso investir, além da capacitar, treinar e dar cursos técnicos e práticos ao time da companhia. “Temos ações que fazem parte da Universidade MSD, estrutura de educação continuada da empresa, que tem o objetivo de aprimorar e levar conhecimento aos colaboradores, parceiros e clientes por meio de uma série de iniciativas”.

Botelho comenta que a MSD é uma companhia que tem como o propósito melhorar a vida das pessoas e dos animais, e por isso tem trazido ao mercado nos últimos anos diversos produtos e serviços que contribuem para a proteção e tratamento preventivo deles, a fim de garantir maior qualidade de vida, mais eficiência produtiva e ganhos aos pecuaristas. “Não à toa possuímos uma robusta área de inovação, com um centro de pesquisa voltado ao desenvolvimento de novos produtos. Aproximadamente 20% do faturamento global da MSD é investido em pesquisa e desenvolvimento”, revela.

As categorias Colheitadeiras e Tratores foram vencidas mais uma vez pela Massey Ferguson – 11% e 38%, respectivamente. E segundo Eduardo Nunes, diretor de vendas da companhia, isto é fruto de trabalho realizado anualmente, onde são feitas pesquisas com o objetivo de identificar as necessidades e pontos a aperfeiçoar no portfólio. “Com a sinergia de todas as áreas, como melhoria contínua, marketing, comercial, exportação, desenvolvimento de novos projetos, seguimos o padrão de constante evolução dos nossos produtos, aplicando toda a tecnologia desenvolvida dentro e fora do Brasil, em todos os maquinários e equipamentos produzidos”, declara. Para ele, atualizar o “menu” de máquinas é essencial para manter a marca competitiva e atender toda a demanda de seus clientes. “

Douglas Ribeiro, da Corteva.

Com a cabeça focada em valorizar todo o ecossistema de decisão das pessoas e das etapas, é que a Massey busca entender as reais necessidades do agricultor, oferecendo com assertividade o produto que ele precisa e, mais que isso, soluções para seus negócios. “Assim, ele vê em nós mais que uma marca que comercializa máquinas e tecnologias agrícolas. Além de produtos e soluções, o produtor encontra um consultor para seus negócios por meio de mais das 206 pontos de vendas distribuídas pelo Brasil”.

A Corteva vence na categoria Defensivos para Pastagem (37%), enquanto a Pioneer leva a categoria Sementes (12%) para casa, e Douglas Ribeiro, diretor de marketing da Corteva Agriscience declara que mesmo em meios às últimas mudanças ocorridas na companhia, o trabalho não parou nenhum minuto, a fim de seguir sendo um diferencial no mercado agrícola nacional. “Para atender às novas demandas são necessários investimentos em inovação e estamos alinhados a está exigência. A companhia possui mais de 140 centros de pesquisa e desenvolvimento no mundo e investe cerca de 10% da sua receita global nesta área”, declara. 

Segundo o executivo, a Corteva cumpre seu objetivo de levar ao mercado ao menos uma novidade por ano, sempre utilizando todo seu conhecimento e inovação. “Estamos na vanguarda da inovação e oferecemos um atendimento personalizado, que agrega informações técnicas, mercadológicas e serviços relevantes para aumentar a produtividade e rentabilidade dos agricultores”.

José Otacílio da Silveira, da Coimma.

Sendo a preferida em Troncos (26%) e Balanças (29%) desde a primeira edição, a Coimma festeja a hegemonia que estabeleceu no Top List. Para José Otacílio da Silveira, gerente comercial da empresa, a receita do sucesso passa por bastante controle nos processos, senso de responsabilidade das pessoas envolvidas em cada etapa e ouvir o produtor, para continuar fazendo equipamentos que efetivamente vão resolver as dores do pecuarista brasileiro. “Exemplo disso, são dois produtos que lançamos nos últimos anos com os quais estamos ajudando a levar tecnologia às fazendas, que geram muito mais valor ao pecuarista unindo forma e formato”, diz.

Silveira comenta ainda que a companhia se propõe a vender, entregar e instalar os produtos na propriedade do cliente, e isso gera reconhecimento por parte do mercado. “Acredito não ser possível obter sucesso sem ser uma empresa idônea e responsável com o que prometemos”.

Com a preferência dos leitores da Rural na categoria Silos, a Kepler Weber mais uma vez conquista o Top List – 15% nesta edição. Com isso, Luiz Felipe Leidens, coordenador de marketing da empresa diz que a força da marca vem em razão do valor dos produtos e de sua história. “Vamos completar 95 anos em 2020, como uma empresa consolidada, de liderança reconhecida.

Luiz Felipe Leidens, da Kepler Weber.

Buscamos vanguarda em inovação, com equipamentos e plataformas de gestão da unidade produtiva, através da internet das coisas”.

Leidens comenta que para se manter no topo da cadeia, a empresa atua em duas frentes. A primeira é inovação, investindo no desenvolver de produtos e trazendo novas soluções ao mercado. “Neste ano lançamos a plataforma de monitoramento dos grãos armazenados, para dispositivos móveis”. Já a outra frente é a eficiência operacional, onde a Kepler trabalha ano a ano para otimizar processos e custos, gerando maior lucro aos clientes.

Segundo o coordenador, o produtor tem se conscientizado que armazenar é um bom negócio e vai rentabilizar a cadeia através do aumento de ganho na comercialização do grão, porém, ainda é preciso mais investimentos neste setor aqui no Brasil. “Nos Estados Unidos, por exemplo, 56% dos silos estão nas fazendas, enquanto aqui o número é de apenas 16%. Temos muito a evoluir dentro de nossas propriedades, mas já vejo o produtor com a mente aberta, disposto a investir”, declara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *