Notícias

Projeto Rotas Rurais vai mapear as estradas no campo e facilitar operações de serviços essenciais

Como prestar serviço público emergencial ao cidadão do campo se a ambulância não chega a tempo e a viatura de polícia não sabe o caminho? Como o fornecedor de serviços e produtos faz suas entregas em certas propriedades rurais sem endereço conhecido? Como o produtor rural faz o planejamento de retirada de suas mercadorias se a transportadora não tem como programar caminho e tempo de viagem? Como utilizar uma série de serviços que exigem um comprovante de endereço? Quem nunca viu aplicativos de rotas deixarem de funcionar em estradas de terra, algumas dentro ou bem perto de grandes metrópoles? 

O projeto Rotas Rurais, patrocinado pela Anfavea e desenvolvido em parceria com a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa do Agronegócio (Fundepag), tem como objetivo mapear, por meio da contratação de um software, as estradas rurais do Estado de São Paulo, via satélite, e disponibilizar para a população da zona rural a localização de sua propriedade.

“O Rotas Rurais é um programa que irá facilitar a vida dos moradores e produtores das áreas rurais. Através de um sofisticado sistema de mapeamento digital e geolocalização por satélite, as propriedades rurais recebem um endereçamento, o que irá resultar em segurança pública, mobilidade e tecnologia, facilitando financiamentos e induzindo o aumento do comércio”, afirmou Luiz Carlos Moraes após a solenidade. “Esperamos que essa iniciativa tenha sucesso e seja replicada em outros estados da Federação”, completou.

“A realização de um projeto como esse viabilizará o acesso a serviços públicos básicos e fundamentais, como saúde e segurança, além de facilitar a atuação de empresas privadas, cooperativas e associações de produtores. São cerca de 200 mil quilômetros que levam a produção para o centro de consumo. O projeto também visa a otimizar a logística e a distribuição de produtos agropecuários e a melhoria da infraestrutura do campo como um todo”, explicou o Secretário de Agricultura, Gustavo Junqueira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *