Destaques Notícias

Maior centro de equoterapia amplia atividades para autistas

Em uma área de 90 mil m2, o Centro de Equoterapia de Jaguariúna é considerado o maior centro de habilitação e reabilitação da América Latina, sendo referência no Brasil. Até o final de 2019 já foram feitos mais de 350 mil atendimentos a pessoas com alguma necessidade especial, seja física, psicológica, cognitiva ou emocional. Destaca-se também o aumento da procura por pessoas com autismo.

Segundo o IBGE, 45,6 milhões de pessoas tem ao menos um tipo de deficiência, o que corresponde a 23,9% da população brasileira, sendo elas autismo, síndrome de Down, paralisia cerebral, derrame, esclerose múltipla, hiperatividade, crianças muito agitadas ou com dificuldade de concentração. Essas necessidades podem muitas vezes ser amenizadas com o tratamento com cavalos.

A equoterapia é um tipo de tratamento complementar ao da medicina tradicional que serve para estimular o desenvolvimento da mente e do corpo proporcionando cerca de 22.500 incentivos musculares. No CEJ, a equoterapia é realizada em um ambiente adequado e especializado, com cavalos treinados e dóceis, intermediado por uma equipe multidiciplinar para que o desenvolvimento da pessoa seja estimulado. Durante todas as sessões estão presentes um guia, um lateral e um equoterapeuta, que pode ser um fisioterapeuta especializado, psicopedagogo ou fonoaudiólogo, por exemplo, para orientar o tratamento.

Todo trabalho realizado pela instituição nasceu da descoberta da missão de vida do cavaleiro Wilson Mellilo em utilizar os cavalos para fazer um bem à sociedade.  “O cavalo sempre fez parte da minha vida. Desde pequeno comecei a montar e levei toda a minha família para isso. Quando me aposentei no esporte e comprei esse Haras, meu objetivo era montar um centro de reabilitação equestre, mas pensando melhor, decidi criar um centro de reabilitação humana”, lembra Wilson, idealizador e sócio proprietário do CEJ.

Dentre vários centros de reabilitação com cavalos, o CEJ se diferencia por ter uma estrutura que foi projetada para ser um centro equoterapia e não apenas adaptada para a função. Segundo a sócia proprietária, Veridiana Mellilo, hoje o CEJ tem o melhor sistema de rampa de montagem da América Latina, além de oferecer uma estrutura única com picadeiro coberto, ambiente climatizado e contato com a natureza durante todo o atendimento.  “Buscamos hoje dar um tratamento de primeiro mundo! Cuidamos de nossos praticantes, de suas mães – atendidas por nossas psicólogas – de toda a infraestrutura, lanche, transporte e animais.”, acrescenta Wilson.

Os benefícios da equoterapia incluem o desenvolvimento do afeto, devido ao contato da pessoa com o cavalo; estimulação da sensibilidade tátil, visual e auditiva; melhora da postura e do equilíbrio; aumento da autoestima e a autoconfiança, promovendo a sensação de bem-estar; melhora o tônus muscular; desenvolvimento da coordenação motora e percepção dos movimentos. Entre tantos benefícios, a equoterapia faz com que a pessoa se torne mais sociável, facilitando o processo de integração nos grupos, o que é muito importante principalmente em casos de autismo.

Maria Aparecida, mãe do Rafael está satisfeita com o trabalho realizado no CEJ. “Ele foi diagnosticado como espectro autista. Com a Equoterapia o Rafa melhorou muito! Melhorou a autoestima, melhorou a coordenação porque até então ele tinha muita escoliose e agora as costas dele está perfeita!”.

A Ivone desconhecia os benefícios da equoterapia e decidiu tentar a terapia com seu filho Vinícius. “Eu não tinha conhecimento algum sobre a Equoterapia. Quando o Vinícius nasceu, na primeira consulta com o pediatra soubemos que ele tinha um probleminha no cérebro.  Ele veio para a ‘Equo’ quando tinha 01 ano e meio. Foi o dia mais feliz da minha vida!  Ele amou o cavalo! Daí para frente ele começou a mexer mais a mão, firmar mais a cabeça e o tronco. Hoje ele já senta comigo no computador, parece um mocinho.”.

Nesses 19 anos de trabalhos, os resultados são sempre surpreendentes. É o caso do Washington de 40 anos com diagnóstico de Encefalopatia Crônica Não Progressiva -Paralisia Cerebral. “Ele chegou ao nosso centro em uma cadeira de rodas e hoje está andando. Um dos casos mais emocionantes, que nos orgulha e nos incentiva a continuar”, se emociona Mellilo.

O próximo passo é ir além com a realização de projetos para autistas.  Diante do sucesso e expertise do CEJ, nasceu o Centro de Referência do Autismo – CAJ em maio de 2019 que, nos dias atuais, comprova um crescimento surpreendente atendendo em menos de um ano 120 famílias.

Para Veridiana Mellilo o segredo do sucesso é estar alinhado com o seu propósito. “Vivemos a arte de servir. Colocamos nossa energia e coração em uma causa nobre e necessária,” afirma Veridiana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *