Tecnologia

E-commerce de carne

Também alojada dentro do inovaBRA Habitat, uma outra startup se destaca por dar comodidade ao cliente na compra de carne. Trata-se do içougue, um marketplace pertencente ao grupo CICS, que por sua vez está no inovaBra com o nome SNDE. O SNDE é uma fintech que desenvolve soluções para o mercado “marketing business to business (B2B)”. Assim, abaixo dele, existe uma acelerador, onde há alguns marketplaces e o içougue é um deles. Essa startup foi idealizada pelo CEO, Tiago Albino, que lidera a equipe de inovação e novos projetos. Ele conta que a demanda surgiu de uma dificuldade que ele mesmo tinha, que era simplesmente a de não gostar de ir ao açougue. “Então acabei pesquisando com pessoas do meu círculo de amizade quais eram as dificuldades que elas tinham, e uma das reclamações era que quase ninguém gostava também de ir às compras. A partir daí saiu a ideia de criar este marketplace online para comprar carne”, declara. O negócio nasceu em outubro de 2017, e hoje já são 17 mil pessoas que estão na plataforma comprando carne.

Nilton Martins, responsável pela parte comercial do içougue, comenta que a plataforma traz a comodidade que os negócios inovadores pedem. “Com isso trazemos os clientes para dentro da estrutura, onde ele seleciona os açougues por região e realizam a compra”. Em contrapartida, o sistema também abriga frigoríficos dentro da plataforma, oferecendo as carnes para estes açougues. “Dessa forma alimentamos toda cadeia de produção, fomentando o mercado por completo”, declara.

Hoje há mais de mil açougues na plataforma cadastrados, e isso vem aumentando gradativamente. Porém, de maneira ativa são cerca de 100 funcionando, pois a startup funciona atualmente apenas na cidade de São Paulo. Já o número de frigoríficos passa de 50, além de 30 distribuidores para atender as pequenas demandas. “Temos clientes cadastrados de 25 Estados do Brasil, então nosso desafio agora é trazer mais lojistas e frigoríficos para que possamos avançar para mais regiões, como Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, por exemplo, onde temos diversos clientes à espera da nossa plataforma funcionar por lá”, declara Tiago Albino.

“Temos clientes cadastrados de 25 estados do Brasil.  Temos diversos clientes à espera da nossa plataforma funcionar por lá”, declara Tiago Albino (a esq.). Para  Nilo Martins, responsável pela área comercial, “Já são cerca de 100 açougues funcionando em São Paulo. Já o numero de frigoríficos passa de 50, além de 30 distribuidores”.

Por dentro da tecnologia

O CEO da startup declara que para o consumidor fazer parte da plataforma, basta entrar no site (içougue.com), e colocar o CEP da região, para ser indicado aos estabelecimentos mais próximos a ele e que poderá atende-lo. “Dentro do site temos diversos tipos de corte, dando cenário completo para o comprador escolher o que vai levar”. Uma vez que isso é feito o açougue entra em contato para ver as questões dos valores e também combinar a entrega da compra. “É um processo simples e que facilita o trabalho tanto de quem está vendendo, quanto também o de quem está comprando”.

Já para os açougues que desejam fazer parte do sistema, o caminho também não é difícil. Basta também entrar no site, fazer a solicitação e aí um representante do içougue vai até o local para ver as condições e se está tudo certo com o estabelecimento. Uma vez que tudo esteja correto, basta fazer o cadastro e aí fazer parte da rede na plataforma. “Esse caminho é o mesmo para o frigorifico que deseja também ser nosso parceiro nesta empreitada”, diz o executivo.

Martins diz que a plataforma nasceu para varejo, e no início buscava um público mais acostumado a comprar carne online. Só que para a surpresa do dirigente, hoje o sistema atende todos os grupos e classes sociais. “Temos clientes que compram carne nobre no Jardins, e gente que compra carne para o dia a dia em Paraisópolis, por exemplo”. Para ele, isso demonstra a força que a plataforma está ganhando e para onde pode rumar nos próximos passos, como o lançamento do aplicativo içougue, programado para o início de 2019. “Já vimos que o público gostou do nosso serviço e que houve adesão deste modelo de compra. Estamos com crescimento de 30% por semana dentro de nossa escala, e com isso provavelmente em janeiro o aplicativo estará gratuitamente a disposição do comprador”, declara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *